Notícias

Formações preparam profissionais da Educação de Hortolândia para volta às aulas Destaque

  • Escrito por  Departamento de Comunicação

Além do tirar dúvidas sobre protocolos sanitários, participantes se preparam para identificar eventuais casos de abuso sexual entre estudantes das escolas da Prefeitura

A Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia da Prefeitura de Hortolândia prepara-se para a retomada presencial das aulas, após 17 meses de atividades remotas em razão da pandemia do Coronavírus. Na quarta-feira (08/09), após o feriado da Independência, os profissionais da área deixam o trabalho remoto e voltam presencialmente às unidades escolares para planejamento pedagógico. Na semana seguinte, a partir de 15 de setembro, voltam também, de maneira escalonada, os estudantes da rede municipal. Atualmente, a rede atende cerca de 26 mil alunos, em 59 unidades próprias e outras 39 contratadas por meio do programa Bolsa Creche.

Na semana que antecede o retorno presencial, cerca de 1.500 profissionais participaram de três formações, ainda ministradas de maneira online e remota, via internet, por meio do canal da Secretaria no YouTube. Uma delas, nesta quinta-feira (02/09), com a psicóloga Ana Denadai, abordou, via roda de conversa, um tema delicado: os protocolos de segurança a serem seguidos nas unidades escolares e o acolhimento e enfrentamento à violência sexual. As outras duas formações, realizada na quarta e nesta sexta-feira (01 e 03/09), com a pedagoga da Secretaria de Saúde, Renata Cristina Muller, buscou tirar dúvidas sobre os protocolos sanitários.

Percepção da violência

Na roda de conversa “Um olhar para crianças e adolescentes em situação de violência", Ana Denadai relembrou informações importantes, como a de que a violência sexual é uma violação dos direitos humanos e o abusador mora junto com a criança em 55% por cento dos casos, mostram os dados nacionais. 

“Estamos falando de um tema que é tabu. Não recebemos educação sexual para a prevenção. A maioria de nós descobriu sobre a sexualidade por conta própria, muitas vezes, de forma errada. Temos que fazer um caminho diferente daquele que passamos. É importante saber que abuso sexual acontece também sem o contato físico. É o caso do assédio sexual, de telefonemas obscenos, abuso sexual verbal, exibicionismo, voyeurismo e pornografia. Todas são formas de abuso sexual. Nosso objetivo é de olhar com atenção para cada criança para protegê-las”, afirma a psicóloga, ressaltando ainda que, muito embora 95 casos de estupro de vulneráveis tenham sido registrados na região, em cinco anos, o problema costuma ser subnotificado.

A formação contou com a participação de duas convidadas: Mirian Iarossi, conselheira e membro do Conselho Tutelar, que falou sobre o trabalho do órgão e todos os passos que toma a partir das denúncias que recebe; e Lia Ribeiro Miranda, da Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) João Carlos do Amaral Soares, no Jd. Nova Hortolândia, que compartilhou com os demais informações sobre como a escola aborda o tema.

Protocolos sanitários

As formações “Volta às aulas presenciais: Orientações da Secretaria de Saúde - Protocolos de Retomada” aconteceram em datas diferentes para atender aos profissionais da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e também das escolas contratadas por meio do programa Bolsa Creche. Nelas, os participantes puderam conversar com a pedagoga da Secretaria de Saúde, Renata Cristina Muller, sobre práticas seguras, esclarecendo dúvidas a respeito do protocolo de retomada presencial. 

“Voltamos com essa bagagem diferente de quando saímos e também vamos voltar embasados nos protocolos de segurança. Nessa conversa, nessa adaptação que estamos realizando, estamos nos preparando, mas muita coisa pode mudar. Temos essa responsabilidade. Sabemos o quanto a escola se faz necessária, mas sabemos também o quanto nós teremos que nos adaptar a uma nova estrutura. Estamos nos preparando e cientes de que trazemos experiências e sabemos que será um momento de muito cuidado”, comentou a diretora de Educação Infantil, Simone Locatelli, ressaltando que equipes da Prefeitura visitaram escolas da região que retornaram para entender a nova logística e estrutura de reabertura.

“Temos o dever e a missão de promover um acolhimento diferenciado. Por conta da pandemia, nós sabemos que as crianças e adolescentes ficaram expostos a muitas coisas, expostos a violência, até ao abuso. É nosso dever e nosso compromisso proteger as nossas crianças na integralidade. A escola muitas vezes é o único espaço em que a criança pode pedir socorro, falar o que acontece com ela. Então, esse encontro é para nós refletirmos,  pensarmos e juntos trabalharmos em prol desse propósito”, afirmou a secretária-adjunta de Educação, Ciência e Tecnologia, Roberta Diniz. 

O protocolo de retomada das aulas na rede municipal está publicado na edição 1297 do Diário Oficial Eletrônico do Município e pode ser conferido neste link: https://publicacoesmunicipais.com.br:8443/api/acts/hortolandia/1297

Apesar do protocolo único, cada escola também está tomando medidas conforme a sua realidade.

ACESSE AQUI SUAS ATIVIDADES DO ANTIGO BLOG DE 2020

     

Entrar