Notícias

Escolas municipais de Hortolândia participam de projeto Escola-Outra da UFSCar Destaque

  • Escrito por  Departamento de Comunicação

 

Emei São Sebastião e Emef Helena Futava Takahashi hospedam projeto pedagógico piloto, que busca pensar a escola pública de outros modos

Duas escolas da Prefeitura de Hortolândia participam de um projeto pedagógico desenvolvido pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos): a Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) São Sebastião e a Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Helena Futava Takahashi. Desenvolvido pelo Prof. Dr. Flávio Caetano da Silva, do Departamento de Educação da universidade, o “Escola-Outra” inscreve-se na linha da formação continuada, da pesquisa e da extensão universitária com perspectiva de intervenção em ambas as escolas da rede, que contam, respectivamente, com 371 alunos e 295 alunos matriculados. A iniciativa tem apoio da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, por meio da Diretoria de Ciência e Tecnologia.

Na noite desta segunda-feira (23/08), o professor realizou uma palestra ao vivo, no âmbito do Programa de Mentoria, da Secretaria de Educação Básica do MEC (Ministério da Educação), voltado a diretores de escolas públicas brasileiras. Durante o evento, anunciou a participação das escolas no projeto-piloto e convidou profissionais docentes e servidores não-docentes a participar da pesquisa-intervenção. Para acessar o evento clique no link:https://www.youtube.com/watch?v=16rK58xsCic

“Trata-se de uma proposta de pensar a escola de outros modos, sob outras perspectivas, de propor o surgimento de uma escola dentro da escola, ou, dito de outro modo, de se efetivar atividades com base em novos pressupostos teóricos a saber: a teoria da relação com o saber e a teoria da biografização como processo formativo. A primeira tem à sua frente o Prof. Bernard Charlot, que é francês e atua na Universidade Federal de Sergipe no presente momento, e a segunda, é encabeçada pela Profa. Christine Delory-Momberger, da Universidade Paris 13, França. A escola que se pretende fazer surgir, se o projeto alcançar êxito, se propõe a superar antigas dificuldades, barreiras e problemas vividos por todos que trabalham e estudam na instituição e também os novos desafios de retomar as atividades presenciais após um ano e meio de fechamento das escolas por força da pandemia da COVID-19”, esclarece o professor Flávio Caetano.

Além da realização do projeto-piloto nestas duas escolas, graças à parceria firmada entre a Prefeitura e a UFSCar, 120 servidores municipais ligados à Educação participam, gratuitamente, do Curso de Pós Gradução "Da Escola Pública à Escola Outra: relações com o saber que afetam projetos de vida e de trabalho", recém iniciado.

“Hortolândia se apresenta neste momento, e a partir dessa formação continuada, como precursora da reflexão em torno de como enfrentar o grave hiato na formação escolar de crianças e jovens. Uma luz no final do túnel”, ressalta o professor pesquisador.

“A oportunidade de refletirmos coletivamente sobre novas práticas pedagógicas, neste momento de pandemia, tem contribuído de forma intensa na ação diária. Temos certeza que a escola-outra refletirá de forma muito positiva no processo educacional de toda rede municipal”, afirma a diretora de Ciência e Tecnologia, Fátima Colevate.

ACESSE AQUI SUAS ATIVIDADES DO ANTIGO BLOG DE 2020

     

Entrar